Entrevista: Família e Sociedade

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Email -- Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

Entrevista: Família e Sociedade, com a Profª Drª Susie Amancio Gonçalvez Roure, UFG. A família é uma instituição social ou natural? Ela reflete a ideologia da sociedade em seu ambiente? A família é a única responsável pela socialização da criança? Qual o papel da escola? Podemos pensar criticamente sobre essas instituições socializadoras? 

Entrevista: Família e Sociedade
com Profª Drª Susie Amancio Gonçalves de Roure, UFG

Autoridade na educação contemporânea, aTivemos a satisfação de conversar com a Profª Drª Susie Amâncio Gonçalves de Roure, professora associada do Curso de Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (UFG). Ela tem experiência na área de Educação e Psicologia, com ênfase em Psicologia Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem, autoridade, autonomia, educação, relação professor-aluno e disciplina-indisciplina. É autora do livro "A autoridade na educação contemporânea", pela Editora UFG.

A instituição família

Entrevista: Família e SociedadeOs filósofos Horkheimer e Adorno são importante autores que apontam a definição da família como sendo de natureza social. Na história dessa instituição a esfera da intimidade se forma apenas na era moderna da família. Sua função volta-se para ser um agente da sociedade, ensinando os filhos a adaptarem-se socialmente; forma os homens como eles devem ser para cumprir as tarefas impostas pelo sistema social, como a progressão acadêmica, a carreira profissional e a busca por sucesso.

Assim, O primeiro centro de desenvolvimento e socialização da criança é a família. Nela a criança aprende boa parte do que vai precisar para sobreviver no mundo. Também é ensinada pelos modelos familiares sobre as relações sociais com os adultos, os cuidadores, os irmãos etc. As relações familiares são a base para formar a individualidade, a identidade de grupo, os valores e tantos outros recursos sociais.

A instituição Escola

Entrevista: Família e SociedadeEm certa idade a criança passa a ir a escola e lá recebe também uma considerável parcela de sua socialização, juntamente com conteúdos escolares. Formam-se os processos de pensamento objetivo e prepara-se a criança para as demandas sociais que a aguardam no decorrer de seu desenvolvimento.

A família e a escola atuam, então, como os principais instrumentos de socialização, aculturação e desenvolvimento da pessoa, favorecendo que esta se adapte à realidade objetiva e que, de alguma forma positiva, organize e estruture sua realidade subjetiva: a identidade, a personalidade, a razão etc.

Experiências Formativas

Tudo o que uma pessoa aprende advém de suas experiências, mas nem toda experiência permite o pleno desenvolvimento da pessoa, construir seu pensamento crítico e sua autonomia. Quando essa experiência é facilitadora da constituição emancipatória da pessoa ela é chamada de experiência formativa.

Uma experiência requer uma relação entre sujeito e objeto e nessa interação as partes se transformam e se constituem. Um indivíduo lida com sua subjetividade e com a objetividade do mundo e aprende sobre si, o outro e o mundo. Tudo acontece mediado pela linguagem e pelo social, e nesse processo de formação da pessoa, que exigem tempo e continuidade, o resultado que mais deveria importar e acontecer -- a capacidade de pensar criticamente e o indivíduo emancipado --, pode ser deixado de lado por conta das exigências imediatistas da sociedade de consumo e da indústria cultural.

Escute! Pratique! Multiplique!
Pense criticamente para desenvolver-se

ettore

About Ettore Riter

Psicólogo, Psicoterapeuta, Coach. Atuando profissionalmente desde 2001. Especialista em Gestão de Pessoas por Competências, Desenvolvimento de Potencial Humano nas Organizações e Psicoterapia Breve. Trabalha com o propósito de auxiliar e estimular o desenvolvimento das pessoas através de diálogos relevantes, para construir uma vida que vale a pena.